PARA 53% DOS UNIVERSITÁRIOS QUALIDADE CAIU, APONTA ESTUDO

Estudantes universitários, apesar da pandemia do coronavírus continuam otimistas e devem continuar os estudos no próximo ano, é o que aponta a pesquisa do Pravaler, instituição de financiamento estudantil, divulgada nesta terça-feira (28). Mas 53% afirmaram que a qualidade do ensino caiu com o ensino remoto.

Já a quarta etada da pesquisa da ABMES (Associação Brasileira das Mantenedoras do Ensino Superior) mostra que 3,5 milhões de estudantes podem ficar longe das universidades privadas no próximo ano por conta da mudança de data do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

“O objetivo da pesquisa da Pravaler era saber a opinião dos alunos com a mudança abrupta para o ensino remoto, quais os anseios e preocupações”, explicou Rafael Baddini, sócio-diretor de estratégia de negócio do Pravaler.

Segundo o levantamento, apenas 6% dos estudantes ouvidos não pretendem continuar no próximo ano. 35,75% estão otimistas para o mundo pós pandemia e mesmo diante das dificuldades, pretendem continuar a estudar.

Para a maioria, 75% essa foi a primeira experiência com ensino remoto, 42% sentiram a ausência do professor e do contato com os colegas e 32% reclamaram não ter um local adequado para estudar.

A maioria, 53%, afirmou que a qualidade do ensino caiu e houve uma queda expressiva no tempo dedicado aos estudos — de 8 horas diminuindo para 2 horas semanais. 72% respondeu que prefere aula presencial e  22% aceita modelo híbrido, desde que com uma metodologia mais dinâmica.

Veja a matéria original

Especial Covid-19

Fonte: ABMES

Categorias